Wednesday, 2 August 2017

Jardins de Interior

A Oficina de Desenho "Jardins de Interior" foi, a convite da L1B apresentada por mim, e orientada pela Manuela Rolão da L1B- Associação Cultural, Seixal.
Inspirei-me na importância que os Jardins têm tido para mim como local de reflexão, hoje com a poesia de António Ramos Rosa.


O primeiro exercício proposto pela Manuela Rolão foi: "registar sombras projectadas no chão ou manchas da casca do plátano. Integrar os versos, ou parte, da capa do caderno."
"Abrem-se espaços calmos/ abrem-se clareiras para estar/
indefinidamente/ num repouso fresco" - A.Ramos Rosa


O último exercício intitulado Jardins de Interior, foi inspirado no poema "Cada árvore é um ser para ser em nós", e a dupla página do caderno preparada para conter o resultado desse "diálogo gráfico entre a árvore e si próprio".


Desenho de Isabel Constantino Gonçalves
Desenho de Vanda Dias
Desenho de Rita Caré
Desenho de Gloria Rabanea

Esqª para dirª: Manuela Rolão, Teresa Ogando,
Isabel Gonçalves, Rita Caré, Vanda Dias, Gloria Rabanea



À sombra do grande plátano do jardim da Quinta da Fidalga, falei do significado e     importância, que têm tido para mim  os jardins, e da forma como o desenho ganhou o seu lugar na minha vida, não tanto como resultado mas como processo vivido; e conversei muito; e fotografei pouco. E também desenhei.



"Abrem-se clareiras para estar indefinidamente num repouso fresco"
" A árvore apazigua-nos com a sua atmosfera de folhas"
"O que tentam dizer as árvores
 A reverência
 A ressonância
 A transparência."
"À sombra de uma árvore o tempo já não é o tempo







                                                                                                                             

Monday, 26 June 2017

Quinta da Fidalga I






                    
Acontecem na Quinta da Fidalga duas oficinas de desenho, propostas pela L1B - Associação Cultural do Seixal e orientadas pela Manuela Rolão


24 de Junho - Azulejos e Carimbos,  teve a Marilisa Mesquita como artista convidada, com uma breve explicação de como construir carimbos artesanais.

Estes trabalhos manuais, muito minuciosas, não são dos meus preferidos, mas é sempre muito agradável ir a estas oficinas, tão tranquilas e com propostas tão criativas.



















Sunday, 23 April 2017

A desenhar no Castro do Zambujal em Torres Vedras

A chegada
No topo do Castro, a paisagem circundante


No Dia Internacional dos Monumentos e dos Sítios, fui desenhar no Castro do Zambujal, a convite do Grupo de Desenho de Rua de Torres Vedras.


A entrada do antigo povoado


Alguns já escolheram o local para desenhar


E outros já desenham, absortos na paisagem e no desenho


Hoje o André foi "apanhado" a desenhar.


Um dos meus desenhos.


Ambas as aguarelas são em Papel Arches 300gr, grão fino

Monday, 20 March 2017

A Primavera chegou


A Primavera chegou à Fábrica da Pólvora de Vale de Milhaços numa tarde organizada em colaboração com L1B - Associação Cultural



Fomos muito bem recebidos pela Carla Costa do Ecomuseu do Seixal e visitámos a fábrica acompanhados pelo guia Sr.Francisco - antigo empregado -, que nos explicou e mostrou como se fabricava a pólvora. Esta Fábrica da Pólvora como património industrial, tem de único em relação a outros museus com o mesmo cariz, o facto de ter as máquinas a funcionar para as visitas guiadas. 

Tipografia Popular  colaborou oferecendo postais, em papel de aguarela para podermos desenhar e enviar. Os meus já seguiram hoje no correio.



Depois da visita, percorremos os terrenos da fábrica, sempre acompanahdos pelo Sr. Francisco e agora também pela Manuela Rolão, da L1B, passando pelas hortas que os empregados cultivavam, pelas árvores de frutos, observando toda a flora que começava a despontar. Só depois nos sentámos, em amenas conversas e trocas de conhecimentos, desenhando, aguarelando, e guardando as flores que recolheramos.